Vendas ficam mais fáceis com estratégias digitais.

Quer atingir os melhores resultados?

11 COISAS QUE NÃO SE DEVE FAZER NA HORA DE PLANEJAR O SEU SITE

Meu site atual é responsivo?

 

Site ou layout responsivo, ou também conhecido como site flexível é quando o site automaticamente se encaixa no dispositivo do usuário (PC, celular, tablet, etc). Um site responsivo muda a sua aparência e disposição com base no tamanho da tela em que o site é exibido. A primeira vista isso pode não parecer um problema, mas não podemos esquecer que além da variedade de aparelhos também existe um grande número de tamanhos de telas com resoluções, configurações diferentes e softwares de navegação que exigem adequações diferenciadas.

 

Como então resolver essa questão ?

 

Há algum tempo atrás os profissionais responsáveis pela criação web desenvolviam um site para cada resolução diferente, adotando pelo menos uma destas resoluções como padrão mínimo, por exemplo 1024×780, e distribuindo todo o conteúdo de maneira que pudesse ser visto sem que houvesse qualquer tipo de interferência.

Mas o trabalho era inviável, já que se gastava um bom tempo para adequar o mesmo conteúdo para cada resolução ou tamanho de tela que seria exibido, tendo que trabalhar tanto a questão da estrutura, quanto principalmente o tamanho das imagens e a diagramação das informações no layout.

Atualmente, os desenvolvedores passaram a adotar uma maneira diferente para solucionar este problema, chamado design responsivo, que é uma metodologia de construção de HTML e CSS que tem por objetivo fazer com que a disposição de informações do site se comporte de acordo com o tipo de aparelho detectado pelo sistema, utilizando apenas um único site para exibir este conteúdo.

Esse processo não possui um desenvolvimento ágil como muitos podem pensar, pois requer alguns testes durante e após o desenvolvimento para saber se o site está de acordo com o tamanho de tela de cada dispositivo. No entanto, acaba sendo mais prático para os desenvolvedores, pois apesar de ter um maior trabalho inicial por conta dos testes e adaptações, será recompensado na manutenção das páginas no futuro. Será necessário editar apenas um HTML e algumas folhas de estilo ao invés de diversos HTML e imagens de diferentes tamanhos.

Hoje em dia cerca de 69% da navegação é feita através de desktops e notebooks, enquanto 41% acessa a partir de dispositivos móveis, e a perspectiva é de que esse número venha aumentar cada vez mais. Portanto, design responsivo não é apenas um modismo, trata-se do design à favor do conteúdo e do usuário.

 

Seguem agora as 11 coisas que não se deve fazer na hora de planejar o desenvolvimento de um site;

 

01 – Não confiar no trabalho de uma empresa profissional que ajude a planejar o seu site, querendo deixar tudo ao seu próprio serviço;

02 – Acreditar que sabe vender com as palavras e privar o profissional responsável pelos textos do seu site de escrever como ele julga o correto;

03 – Pedir alterações de layout acreditando que o diretor de arte é apenas um executor, sem dar chance do profissional explicar seus motivos para as decisões no layout;

04 – Planejar ações pontuais para a internet sem levar em consideração as decisões e estratégias digitais que a agência que você contratou já havia estabelecido para o período que você esteja;

05 – Querer obter exatamente os mesmos resultados da campanha que você já fez cortando custos de investimento, produção ou planejamento;

06 – Esconder dados da agência, não permitindo que ela possa acompanhar totalmente os resultados obtidos – assim, ficará muito mais difícil prever onde será possível realizar novos investimentos ou ter mais atenção aos detalhes na próxima vez que for planejar uma campanha;

07 – Tentar gerenciar os processos por conta própria para tentar economizar recursos. Essa é a técnica mais equivocada de economia que você pode fazer, pois, com ela, você terá uma agência tendo que adaptar um estilo de trabalho que já dá certo para um método duvidoso;

08 – Criar campanhas Google Ads com uma empresa, e gerenciar e atualizar as páginas do seu site com outra. Ao invés de incentivar a concorrência por um trabalho melhor, você estará particionando o trabalho das agências de maneira que eles precisarão do dobro do tempo para fazer acontecer;

09 – Não ser claro em seus objetivos. A base para uma empresa criar um site do jeito que você precisa é a informação. Se você não passar um briefing claro, dificilmente conseguirá o trabalho que queria, causando retrabalho;

10 – Mudar de opinião e querer que a empresa de criação de sites mude completamente um projeto sem cobrar a mais por isso. Realize e documente um briefing claro juntamente com a empresa contratada antes de começar o projeto;

11 – Não dar tempo o suficiente para que os profissionais executem um trabalho de qualidade. Tempo é igual a qualidade no setor da comunicação. Ou você dá tempo para a agência fazer um bom trabalho, ou não será possível viabilizar seu projeto.

 

O que você precisa saber para criar um site de qualidade.

 

Ser presente na internet se tornou essencial para qualquer negócio, seja ele em uma loja virtual ou com uma loja física. Isso acontece porque boa parte dos clientes utiliza a rede para fazer pesquisa de preços, telefone, endereços, opiniões de outros clientes, entre outras tantas utilidades.

Qual a diferença, para essas empresas, entre criar um site ou um blog? É a credibilidade.

 

Os sites passam mais confiança ao cliente do que os blogs. As redes sociais trazem mais retorno que um blog, mas elas podem ser aliadas aos conteúdos do site e, então, atrair os clientes. Logo, ter um site é algo essencial.

Cuidar da aparência desse site é importante. Não utilize diferentes fontes (tipos de letras), pois isso passa um ar de amadorismo, fica feio em blogs e, principalmente, em sites. Destoa. Os gradientes (fusão de tons) também precisam ser usados com cuidado e pelo mesmo motivo. Prefira tons que facilitem a leitura e passem seriedade. A tecnologia em Flash está ultrapassada, os aparelhos mais modernos (iPhones, por exemplo) não dispõem dessa tecnologia, e a leitura fica prejudicada. Os textos produzidos não devem estar como imagem, os buscadores não irão encontrá-lo e alguns aparelhos podem não lê-los.

Criar um site hoje não custa muito dinheiro. As hospedagens mais baratas podem ser assinadas por menos de R$30,00 por mês, procure uma confiável.

Um site profissional e bem produzido por uma agência digital pode custar a partir de R$ 3.500,00. Mas os valores podem variar de acordo com as necessidades e regras do negócio.

 

O site mais simples, para pequenas empresas, ou empresas que não querem investir muito, tem três investimentos:

 

  • Desenvolvimento: criação da página, layout, cores, arte. É pago uma vez ao designer que fará todo esse trabalho.

 

  • Hospedagem: é onde o site desenvolvido ficará armazenado e disponível na rede. O valor pago por ele é mensal e, como citado no texto acima, varia de acordo com as tecnologias contratadas. Como se trata de um serviço essencial, sugere-se que opte por planos semestrais ou até mesmo anuais com valores mais em conta.

 

  • Domínio: é o nome do site. Por exemplo: www.moveislalala.com.br. O domínio precisa ser registrado nos órgãos competentes e não podem existir duas páginas com um mesmo domínio. O custo é anual. Certifique-se que você é o detentor do domínio e está com todas as senhas de acesso a ele. Essa responsabilidade é sua e não pode e nem deve ficar em poder de terceiros.

 

Gostaria de compartilhar com você um E-book que escrevi sobre os conceitos básicos para criar um site de qualidade. Se trata de uma rápida síntese daquilo que aprendemos com anos de prática, entre erros e acertos. Nem tudo é previsível e as coisas mudam rapidamente nesse ambiente digital, ainda assim, sobra espaço para indicarmos o melhor caminho a seguir, segundo a nossa experiência.

DOWNLOAD DO E-BOOK

Em nome de toda equipe Next4 seja bem-vindo(a) e obrigado por acessar o nosso site.
Felipe Alencar – Gerente de projetos

felipe@next4.com.br ou (11) 3451-6349

Fale com a agencia Next4
Felipe